A Intuição – Estudo 27/05/2013

A Intuição – Estudo 27/05/2013
dezembro 28 15:35 2016

27/05/2013

Tema abordado: A Intuição
Texto do Evangelho: Um Espírito amigo – A Paciência
O mentor se apresenta como Eustáquio.

Eu- Seja bem vindo, Eustáquio. Temos muita alegria em recebê-lo.

Sensitivo – Ele vai ter o auxílio de uma co-responsável chamada Virna.

Eu – Bem vinda, Virna. Estamos de corações abertos para receber seus ensinamentos de hoje.

Eustáquio – É importante que todos saibam que a intuição já nasce junto com o corpo físico, pois a intuição vem dos corpos superiores mais ligados ao espírito. Então ela vem de antes do corpo físico. O grande problema é que a educação a qual as crianças são expostas vai fazendo com que elas deixem de ter contato com alguns dos planos e com algumas das informações que vem desse plano. Seria muito recomendável que as crianças fossem respeitadas, que elas não recebessem broncas quando contam das suas intuições, que pelo contrário, as crianças fossem estimuladas e orientadas. O que acontece é que muitas crianças acabam ou tendo medo, porque quando manifestam algum conhecimento da intuição são refreadas pelos pais, ou achando-se inadequadas quando se entregam demais a intuição. Todos vocês encarnados e nós desencarnados temos acesso a muitas informações que vem de muitas das nossas personalidades que vocês estão tratando na Apometria. Mas vem também do que se poderia chamar da grande biblioteca, que é uma biblioteca energética, na qual qualquer um pode ter acesso a ela. O problema é que a maioria acaba esquecendo o caminho, que é tão fácil…….

Eu – Então a intuição já faz parte do ser humano?

Eustáquio – Sim!

Eu – Existe uma pessoa com mais intuição e outra com menos intuição ou é o desenvolvimento dela que nos da esse parâmetro?

Eustáquio – É que vocês gostam de comparar e muitas vezes, erroneamente, acabam chamando de sexto sentido. Os sentidos físicos dependem dos nervos do corpo, enquanto a intuição não depende dos nervos físicos. Ela vai depender dos liames de ligação com os corpos menos materializados, então ela também depende de canais, mas não desses canais nervosos do corpo físico. Assim, ela não é um sexto sentido, porque ela não depende dessa transmissão do impulso nervoso, mas ela depende também da ligação desse corpo que ocupa o físico com seus próprios corpos superiores. E também com o que muitos, principalmente os indígenas chamam de Grande Mistério, que nada mais é do que o conhecimento acumulado por todos, e que de forma paulatina, de forma lenta vai sendo liberado para o acesso. Confunde-se muito a intuição com premunição, que é uma capacidade que alguns têm, poucos para dizer a verdade, e que não é necessariamente intuitiva. Ela pode acontecer, mas na maioria das vezes ela não é tão importante quanto se acha. É que na maioria das vezes a pessoa vive a angustia de não saber exatamente o que vem no seu futuro. Todos os grandes sábios já disseram isso, Jesus já disse, Buda já disse: pense que o futuro a Deus pertence e vivam o presente, mas as pessoas continuam buscando a premonição. O conhecimento do futuro não ajuda ninguém, muito poucas vezes vai ajudar. A intuição é muito mais importante no auxilio das decisões, não como premonição, não como pre-cognição, ou seja, conhecer antes que aconteça, porque é impossível conhecer antes que aconteça, se o que acontece depende de decisões, e essas decisões são livres. A colheita é obrigatória, mas a decisão é livre. É que muitos vivem o drama do “e se”, e se eu tivesse feito dessa forma, mas não fez. Ninguém nunca vai saber. A intuição sim, não como premonição, mas como um conhecimento além dos cinco sentidos, e além do conhecimento adquirido nessa encarnação, precisa ser entendida, compreendida e usada.

Eu – Então a intuição pelo que eu estou entendendo depende de se estar presente no seu agora?

Eustáquio – Sempre!

Eu – Se eu estou ligada no passado ou me preocupando com o futuro, estou ausente da minha intuição?

Eustáquio – Sim. É quase como se você quisesse atender aqui ao telefone (telefone fixo) da sua casa em que você mora, lá longe. O telefone está no seu nome, mas você não pode atendê-lo aqui. Então é quase a mesma coisa. Se eu não estou presente para receber estas ligações, como eu posso saber se elas ocorrerão?

Eu – Então para que a intuição possa fluir, devemos tratar nossos apegos ao passado e a ansiedade pelo futuro? Precisamos treinar estar no Agora. A meditação é uma grande ferramenta para isso, não?

Eustáquio – Sem dúvida! Aí sai todo mundo dizendo que teve um insight na meditação. Não é um insight! Foi a condição de se conectar com algo que muitas vezes você já conhecia, só que não é desta vida.

Eu – A intuição está ligada do Chakra cardíaco no Búdico, ou vai além disso?

Eustáquio – O conhecimento que você já tem está no Búdico, mas a intuição como um todo, vai bastante além, porque ela incorpora também a possibilidade de acessar conhecimentos que não são seus, que não fazem parte do seu corpo, mas que são da humanidade, ou dessa espiritualidade.

Eu – Entramos então no Akáshico?

Eustáquio – Não chame mais de corpo, mas sim de uma atmosfera. É como se fosse uma grande energia que permite que você consiga acessar, mas são tão poucos os que têm se detido em alcançá-la. A maioria acaba não tendo tempo nem vontade, porque se contenta com pouco.

Eu – Como fazer uma avaliação, pois sentimos muitas coisas, mas ficamos no “será que é real, é uma intuição ou é da minha cabeça”? Como intuir e ter certeza que intuiu?

Eustáquio – Isso requer treino. Principalmente requer que quando você tenha o que vocês chamam de insight ou intuição, você pare, medite, coloque-se presente e teste a hipótese. Porque vocês precisam aprender a diferenciar o que é intuição do que é tentativa de espíritos que vos cercam e tentam influenciar vossa vida. Isso é sempre muito fácil de perceber quando você medita, quando você testa essa hipótese. Essa hipótese sai do seu coração, do seu conhecimento. Ela é congruente com seu conhecimento, é intuição. Quando a hipótese é muito esdrúxula, quando ela vai muito contra toda sua forma de agir, de pensar, ela é provavelmente uma interferência. O grande problema é que muitas das interferências são muito prazerosas. As intuições não precisam ser necessariamente prazerosas. Na intuição você sente que sabe, você não precisa ser convencido disso. Na interferência não. Além de ser prazerosa, você precisa ser convencido, você acaba, uáu… ficando muito feliz por causa daquilo. Isso geralmente são interferências.

Eu – As interferências ocorrem mais na manifestação da condição do outro ou não? Porque intuição se deve usar para si mesmo.

Eustáquio – Sim.

Eu – Porque muitas vezes temos essa coisa de dizer: ah, eu intui que determinada pessoa, determinada situação não é relativo a você. Pode ser falso ou pode ter verdade nisso também?

Eustáquio – Pode ter verdade. Algumas vezes tem verdade. Mas é preciso ver se isso não é só uma tentativa de interferência de mudança, afetando a sua decisão para algo que não é do teu verdadeiro Eu.

Eu – Até para satisfazer sua vontade, né? Porque às vezes você quer que seja daquela maneira.

Eustáquio– Sua vontade e seu ego. Aí você se torna uma presa muito fácil, porque bate o seu desejo com essa interferência.

Eu – E é comum essas interferências acontecerem? As pessoas serem usadas e sem saber manifestarem o que não é dela?

Eustáquio – A cada pessoa, se você contar essas 24hrs. que vocês contam o dia, provavelmente, de 5 a 10 interferências ao dia.

Eu – É muito, não?

Eustáquio – Não! Foi pior.

Eu – Você dizendo que foi pior, eu pergunto: o ser humano hoje tem uma facilidade maior de ser intuitiva?

Eustáquio – Sim. Por um lado sim. No que tange as interferências, sem dúvida existe uma energia muito grande que tem purificado e diminuído um pouco essa capacidade de interferência de um no outro, por outo lado, não, porque a educação que é recebida no mundo encarnado é uma educação basicamente materialista, e isso acaba afastando demais da intuição.

Eu – Como o materialismo atrapalha a intuição? Não são coisas totalmente opostas?

Eustáquio – Sim se você tem uma educação materialista como é que você pode assumir que você pode ter intuições?

Eu – A intuição, em alguns momentos da sua vida não se torna mais forte do que o desejo do ego?

Eustáquio – Se você treinar para chegar nesse ponto, sim. A maioria das pessoas só tem desejos. A maioria dos espíritos atualmente encarnados se assemelha a criancinha birrenta batendo os pezinhos. E a criancinha birrenta batendo os pezinhos não vai permitir que a intuição flua. Ela só quer saber de satisfazer os seus desejos. Isso não é uma crítica!

Eu – Falando assim você quer dizer que a intuição pode ser contrária ao desejo que você tem no momento?

Eustáquio – É! Porque a intuição vai mostrar o que você precisa, não o que você quer.

Eu – E nem sempre nosso ego aceita o que é preciso, queremos o que achamos que é bom, né?

Eustáquio – Exato (pausa).

Eu – Uma criança está sempre intuitiva por natureza, ou muito tem a ver com fantasia?

Eustáquio – A criança está na intuição e na fantasia. E a maioria dos adultos acaba bloqueando a intuição e a fantasia na criança.

Eu – Dizendo que é bobagem, que é invenção…

Eustáquio – Exatamente. E quantos sofrem por isso, quantas crianças estão tomando medicamentos, fazendo terapias estranhas? Muito mais para satisfazer o desejo dos pais para que não tenham essa manifestação que os assusta, mais do que tudo.

Eu – Vai contra as regras e normas dentro dos padrões que os pais estão enquadrados. Eu acho que a autoestima e a segurança ajudam muito na intuição, sim?

Eustáquio – Todos os extremos atrapalham. Se você chama de autoestima e segurança, um equilíbrio, ótimo. A falta da autoestima vai fazer com que a pessoa não se sinta nem capaz ou merecedora de receber qualquer informação. Mas o excesso de autoestima também pode impelir ao excesso de ego. Aí também eu não admito que ninguém possa ter, ou que a intuição flua.

Eu – Você mencionou premonição e outras práticas divinatórias, então tudo isso que se vai atrás para saber o futuro, não tem função?

Eustáquio – Muitas vezes tem. Só que não é a função que elas acham que tem. Muitas vezes a função é de CRIAR um caminho para que ela siga. E não sei se isso é o melhor.

Eu – Então isso pode tirá-la do seu caminho?

Eustáquio – Pode! Pode sim. Porque ela não está seguindo a sua intuição.

Eu – Mesmo as cartas de tarô?

Eustáquio – Sim!

Eu – Você pode induzir a retirada de uma carta que você queira?

Eustáquio – Não que você vai forçar a carta a sair. Mas a hora que a carta sai você decide que aquela carta signifique aquilo que você quer que signifique.

Eu – Mesmo que outra pessoa esteja fazendo isso?

Eustáquio – Mesmo que seja outra pessoa.

Eu – Influencia na mente da pessoa?

Eustáquio – Se for outra pessoa você vai ter duas influencias. A sua e a da outra. Isso não significa que nada disso tenha energia, ou que tenha verdade. Isso só significa que nós precisamos aprender a usar a nossa intuição. A intuição é um conhecimento que já vem, é o uso do conhecimento que já está disponível para toda a humanidade energeticamente, para interpretar melhor. Mas a maioria de nós não usa a intuição, usa o desejo.

Eu – O que você esta dizendo seria assim: a resposta que você necessita esta dentro de você. Não precisa ir a igreja, ao pastor, ao terapeuta buscar… Você pode tirar de dentro de você o que necessita?

Eustáquio – É que às vezes não se esta apta para algumas situações. Nenhum problema de você ir buscar ajuda, desde que você não queira que essa ajuda carregue nos ombros as coisas que você precisa carregar, desde que você não queira transferir seu fardo. Muitas vezes até precisa que um terapeuta, um líder religioso, um sábio te oriente. Um verdadeiro sábio não orienta ninguém. Ele simplesmente te mostra outros caminhos para que você escolha. Então isso pode ser muito necessário, porque a capacidade cerebral do corpo encarnado inclusive impede que você consiga ver todos os caminhos, todas as alternativas. Muitas vezes você sofre porque só vê uma alternativa. Então um grande sábio, um bom terapeuta, ou um bom sacerdote pode te auxiliar a ver alternativas para que você escolha. Agora, um sacerdote egocêntrico ou um terapeuta autoritário pode na realidade, tentar interferir na sua vida. E aí, ele esta assumindo a responsabilidade por isso.

Eu – É jogar a sua opinião, a sua verdade.

Eustáquio – E assumindo mais a do outro. Cada vez que você joga, o seu fardo aumenta. E isso não significa que você esta jogando em cima do outro o seu peso e que esse peso diminua para você. Talvez aumente no ombro do outro, mas vai aumentar no seu também. É uma coisa que fisicamente parece impossível, mas que energeticamente é bastante possível.

Eu- Existem maneiras diferentes de intuir?

Eustáquio – Com certeza! Cada um pode desenvolver um determinado tipo de maneira de intuir. Alguns precisam da meditação, outros precisam de mantras, outros precisam de orações, outros precisam de menos luz, de determinado som. Nenhum deles é importante, nenhum destes detalhes é importante, mas funciona quase como uma chave para auxiliar como processo.

Eu – Eu quando estou envolvida por alguma coisa que não seja preocupação (pintar, escrever, andar na natureza) vem sempre alguma coisa que sinto que é importante para mim, seria isso? Esvaziar a mente, se desligar. Esse é o processo?

Eustáquio – O mais importante é você se soltar, desligar. É você de alguma forma acessar isso. Para algumas pessoas é importante se soltar, se desligar sim, mas o estar presente para acessar. E quando acessar manter um bom tempo para acessar até condições que não são produzidas por seus próprios corpos espirituais, mas estão disponíveis. É quase como o que vocês veem hoje na internet. Muitas das informações estão disponíveis, você só precisa ter a possibilidade de acessa-las. Ou seja, você precisa ter o desejo de acessa-las, precisa estar presente e precisa saber a metodologia. Exatamente como na internet. Se você não tiver um computador, não tiver acesso à rede, não colocar na pesquisa do Google, você não vai encontrar. Ninguém vai bater na sua porta te dizer: olha moça tem algo aqui muito interessante para você. Tem que partir de você!

Eu – Com a intuição, você pode acessar um conhecimento e começar a desenvolver, a produzir esse conhecimento?

Eustáquio – Sim. Você já tem muito conhecimento, muito mais do que aqueles que você adquiriu só nesta vida. Você só precisa reativar tudo isso e acessar. Algumas dessas bibliotecas estão lacradas. Aí você não vai acessar e esse lacre é feito com muito amor, porque algumas destas informações poderiam por em risco o seu processo de encarnação. Então alguns lacres são importantíssimos e eles vão continuar, mas as informações aos poucos vão sendo desnudadas. Porém, você precisa estar disposto e estar se conectando, exatamente como na internet, para ter essas informações.

Eu – Por exemplo; quando nós estamos na Apometria, vamos dizer que 80% fazemos através da intuição, o que facilita isso?

Eustáquio – A presença, a concentração. Se uma pessoa está na Apometria, captando, dirigindo, ou apenas atuando como contra ponto energético e se ela estiver preocupada com a lista de compras, nada vai fluir para ela.

Eu – Então é o estar presente?

Eustáquio – Sim! Quando você faz toda a abertura e faz as preces, você está facilitando a presença. A presença permite que a intuição que não é das suas personalidades, mas que vem dos guardiões, dos mentores e dos mestres, possa atuar. Você precisa se disponibilizar. É como se você pegasse o seu computador desligado e quisesse que ele te disponibilizasse informações. Você precisa liga-lo, conecta-lo primeiro e aí, sim, acessar informações.

Eu – O pai Beijamim já comentou mesmo sobre essa interferência na intuição. Você tem mais alguma coisa para acrescentar?

Eustáquio – A Virna vai falar mais uma vez que é muito importante aquilo do orai e vigiai, do estar presente. É preciso tomar cuidado com seus pensamentos. Ás vezes você vai ouvir que os seus pensamentos cria realidade e isso é verdade.

Eu – O pensamento cria realidade?

Eustáquio – Sim. Isso é verdade. Porque vai criar a sua visão da realidade, mas ele não vai criar bens materiais, por exemplo. Ele vai te dar meios de atingir bens materiais, mas você vai ter que trabalhar um pouco. Aí então, cuidado também, porque tem muita gente que acaba ficando muito tempo só pensando, pensando, desejando, desejando e isso é perda de tempo. Você vai ter que fazer alguma coisa porque no nível material, você precisa de trabalho material. Esqueça, você não vai conseguir bens materiais com trabalho espiritual. Também é muito importante que nós possamos disciplinar, por quê? Porque existem muitas influencias. Da mesma forma que você tem espíritos encarnados que te influenciam. No dia em que alguém que é importante para você te tira do sério e briga, provavelmente o seu dia todo vai ser conturbado. Por mais que as outras pessoas estejam muito felizes com você e venha carinhosamente, você dificilmente vai receber esse carinho, você vai estar abalado. Então é a mesma coisa no plano espiritual e cada um dos encarnados tem uma rede de espíritos os acompanhando. Alguns já são conhecidos de outras encarnações, mas esses são a minoria. Não se iludam, a maioria desses espíritos que os acompanham o fazem por sintonia, porque as energias que você emana lhes são afins. Ok que existem os espíritos guardiões, que existem os espíritos familiares, os seus amigos de vidas passadas e seus inimigos de vidas passadas. Porém muito mais do que esses que são poucos e que estão interessados em interagir, estarão interagindo com você os espíritos afins, que estão sendo atraídos pelas suas atitudes. Muito mais do que pelas suas palavras e as atitudes, incluem aí os pensamentos. Não pelo que você diz, mas pelo que você faz, inclusive na ação de pensar, que não deixa de ser uma ação.

Eu – Na aula passada de Apometria, uma senhora questionou o fato de que quando se pede para um santo no desespero, a coisa acontece. Ela disse que nós não podemos achar que só nossa mente realiza, a fé faz acontecer. Como é isso?

Eustáquio – Primeiro! O que acontece quando você esta num momento de desespero? Você tem que estar aqui, presente no desespero. Você esta vivendo uma coisa agora. Se for alguma coisa que você esta pensando para o futuro, você não esta em desespero, você esta em ansiedade. Mas se você esta em desespero, você tem uma capacidade muito grande de estar aqui, e então fica muito mais fácil absorver, se conectar com a intuição.

Eu – E aí você acessa uma solução.

Eustáquio – Você pode acessar uma solução ou não. Você pode ser influenciado também. Você pode ser influenciado negativamente ou positivamente, depende do seu mérito e da sua sintonia.

Eu – Então existem esses espíritos companheiros, anjos de guarda, como se acredita, que num momento desses agem através da força que a gente desenvolve?

Eustáquio – Ou podem te atrapalhar também, depende. Existem também espíritos que querem botar a perder e que num momento de desespero vão te dar as ideias mais malucas. Por que você acha que as pessoas cometem suicídio?

Eu – É influencia de negativismo?

Eustáquio – Não é só influencia. Porque essa influencia só se da se você se sintonizou com ela.

Eu – Se você esta vibrando no mesmo sentimento daquele espirito?

Eustáquio – Exatamente!

Participante do grupo – Tem uma tendência também, não é isso? A pessoa tem tendência e o espírito da um soprinho.

Eustáquio – Na maioria das vezes o outro faz muito pouco, você é que decide.

Eu – Mas isso é uma tendência ou um estado?

Eustáquio – É muito mais um estado. Quando você fala tendência, você corre o risco de passar que isso está na genética, no corpo e isso não existe. O que acontece muitas vezes, e muitas pessoas colocam como: oh… tem famílias com tendências suicidas, mas é que os afins se atraem sempre.

Eu – Se essa pessoa mudar seu estado vibratório e seu padrão de comportamento, ela sai disso?

Eustáquio – Sim. Ao mesmo tempo em que essa energia atrai, ela acaba atraindo muito dos espíritos caridosos que vão tentar auxiliar. Mas é preciso que se abra a porta para eles, porque eles não arrombam portas.

Eu – Acontece de esses espíritos, esses seres estarem vendo esses acontecimentos e não poderem fazer nada?

Eustáquio – Muitas vezes! Todos os acontecimentos que parecem sofríveis, cheios de sofrimento para vocês são acompanhados. Mas todos eles têm algum porque e todos eles têm alternativas, mas nós precisamos aprender a nos abrir para vermos as alternativas. Porque geralmente só nos lembramos das alternativas depois que a coisa aconteceu.

Eu – Há pouco tempo nos nossos estudos usamos um exemplo: você vai embarcar num avião que cai. Uma determinada pessoa que também ia embarcar no voo, por algum motivo, não embarcou. Aí ficou a questão: existe coincidência ou esses espíritos podem agir numa situação dessas, impedindo que essa pessoa embarcasse no voo?

Eustáquio – Na realidade o tempo todo eles estão fazendo isso e muitas vezes você da ouvidos. Você está conectado o suficiente para perceber isso. O grande problema é não estar presente. Então se você perguntar: existem coincidências, como consciência não, existem possibilidades? Existem! Dentro do livre arbítrio, existe a possibilidade. Mas não é consciência. Talvez não estivesse no planejamento encantatório, mas a partir do momento que você decidiu, isso entra para o seu planejamento, porque o planejamento não é fixo também. No próprio livro dos espíritos, você vai ler que se você seguisse o seu planejamento da encarnação, provavelmente você teria dez vezes mais sofrimento do que você tem nessa vida.

Eu – E o que modifica isso, nossas atitudes?

Eustáquio – Não só as atitudes, também o aprendizado, mas inclusive a suavização desses espíritos superiores que em nome de Deus facilita um pouco.

Eu – E isso acontece por merecimento da pessoa? Por isso eles podem amenizar isso?

Eustáquio – Não só por merecimento, mas por falha no julgamento. Na maioria das vezes um espírito tem a possibilidade de fazer seu planejamento encantatório. Ele acaba tendo ainda culpas desnecessárias e acaba se sentindo responsável por coisas das quais ele não é. Ainda por causa da educação recebida nas muitas encarnações nesse planeta, ele acha que expiação é igual a castigo. Ele acaba pedindo castigo, porque só sendo castigado ele vai poder evoluir. E na realidade o que esses espíritos fazem não é facilitar. Eles fazem é uma dosagem do que tem aí de excesso de culpa, de ausência de auto perdão, de excesso de cobrança, de auto-punição.

Eu – Ah! Então eles liberam aquilo que foi adquirido pela crença da pessoa?

Eustáquio – Pela crença, pelo crime castigo.

Eu – Mas a pessoa desencarna com essa intenção, que se for punida é que vai melhorar?

Eustáquio – Não precisa ser no desencarne, porque quem esta no plano espiritual é o mesmo que esta no plano encarnado. São as mesmas pessoas, só que tirando sua roupa de encarnado.

Eu – Então ela leva toda a bagagem?

Eustáquio – Sim! Pensa quantas vezes ela escutou que Deus castiga, que Deus é cruel, que a justiça Divina é a justiça da espada. E ai pede punições de que não precisa.

Eu – E esses espíritos ajudam aliviando esse excesso?

Eustáquio – Eles não estão ajudando, eles estão aparando essas arestas.

Pergunta de um dos participantes.

P – As pessoas uma em relação a outa se sente que aquela pessoa, ou outra a incomoda ou a desvia do progresso, isso é um resgate ou apenas uma falta de tomar decisão?

Eustáquio – Nem uma coisa nem outra. Porque ninguém nunca te desvia do teu resgate, ninguém nunca te desvia do teu caminho. Só tu te desvias. Todos os que adentram no seu convívio são seus mestres. Você decide. Então é impossível que outra pessoa influencie. Você é que decide.

Pergunta de outa participante

P – Tem outra pergunta quanto à carta de tarô. Sempre tem acertos: vou trabalhar não sei aonde, vou me relacionar não sei com quem e sempre falam que acerta o futuro. É real ou uma ilusão?

Eustáquio – N realidade não é que acertou o seu futuro. Muitas das vezes falou o que você queria ouvir. Você seguiu aquele caminho porque você aproveitou, ou seja – o sensitivo te deu um mapa e você resolveu segui-lo – cabe a você segui-lo ou não.

Eu – Então quer dizer que a pessoa entrou na vibração do que a cartomante falou?

Eustáquio – Na maioria das vezes sim. Não que não existam as profecias, elas existem. Os profetas são muito raros, mas eles estão aí. Mas eles não estão à disposição para falar sobre futilidades do futuro. Se assim fosse, esse dom não seria dado para alguém.

Eu – O que você tem mais para acrescentar sobre o nosso tema?

Eustáquio – O mais importante são as técnicas. Lembrar que cada vez que vem um pensamento que não é seu, e isso é fácil de perceber, um pensamento que não tem correlação com o momento e com a forma de pensar, você vai ter que sempre coloca-lo frente a um julgo. Primeiro, você vai ter que testar essa hipótese para ver se ela é coerente com você e se ela é congruente com o caminho evolutivo. Muito mais congruente com o caminho evolutivo do que congruente com o seu querer. Para saber separar o que é intuição e o que é influencia. Esse é o principal ponto. O que é influencia na realidade, é como você perceber o que o outro esta dizendo, é como se você julgasse como se fosse um amigo encarnado te dizendo alguma coisa, será que ele só esta sendo conivente! Será que ele só esta sendo adulador, isso é o mais difícil. Nesse mundo que vocês vivem de ego, isso é o mais difícil.

Eu – E essa maneira de se dizer: sentiu é o real, não fique questionando será que é certo, será que é errado, não se deve analisar a intuição.

Eustáquio – Vai muito do que você sentiu também, porque quando você intui é algo que te deixa bem. Mesmo que seja algo difícil de levar, isso faz sentido para você. É você que escolhe!

Eu – Acho que a intuição é aquilo que vem e nos traz aquela sensação de que é o certo, é o bom para você, nos traz tranquilidade, será isso?

Eustáquio – É! É isso. Só sei que eu sei. Isso faz sentido para você lá dentro do seu coração. Quando vem uma informação, você olha e, tem algo aí, isso não é intuição. E você vai ver se é uma tentativa de influencia. E quando isso acontecer, qual o grande jeito de separar o joio do trigo? A PRECE. Pare, faça uma prece, peça luz, use as técnicas apométricas.

Eu – Uma personalidade perdida tem uma força maior de influencia do que um obsessor?

Eustáquio – Ela não tem maior força obsessiva. Ela esta mais ligada a você, porque ela é você. Mas o que é preciso colocar é que muitas das personalidades, você falou personalidade perdida, muitas das personalidades não vão aparecer nesta encarnação. Em cada encarnação você vai trabalhar algumas dessas personalidades perdidas, como se fossem pedacinhos seus que agora não podem se manifestar. Elas ainda vão ficar guardadas, a maioria delas inerte, até que elas possam se manifestar.

Eu – E quanto a estas que se manifestam agora, eu também posso ter a capacidade de discernir se é influencia ou se é real meu?

Eustáquio – Sim, faça preces. Sinta a energia, esteja presente para receber a intuição. Quando eu falo em testar a hipótese, não significa questionar a intuição nesse sentido de óh, será tal. Mas é testar mesmo: isso é bom para mim, é bom para todos, isso bate com as atitudes que eu gostaria que estivesse comigo, isso bate com as regras do Amor Universal? Isso não significa também que eu tenha que ser bonzinho com todo mundo e agradar a todos. Isso significa que dentro das minhas escolhas, eu vou ter que aprender a ferir algumas pessoas também, porque eu vou ferir expectativas, mas não vou ferir o Amor Universal, porque o Amor, muitas vezes nega, muitas vezes refreia o Amor. Muitas vezes repreende, porque senão não é Amor.

Eu – Um resultado sempre tem que ser bom para mim e para além de mim também?

Eustáquio – E quem sabe o que é bom e o que é ruim? Você vai ter que testar, porque você só vai saber o que é bom ou o que é certo depois que errar muito. E você tem que testar e saber que você é um ser humano que vai testar e vai colher todos os resultados, colher todos os erros e os acertos. Aprender com os resultados não significa sofrer com os resultados, mas aprender com eles. E agradece-los, agradecer todos os mestres que vão te ensinar pelo Amor ou pela dor.

Eu – Então estamos com 52 minutos de gravação desses ensinamentos. Nós vamos agradecendo e eu pergunto se todos dos grupos que participam estão aqui?

Eustáquio – Sim, os grupos continuam em reunião. Temos tido o auxilio também do pai Beijamim que é um líder incrível e vocês aproveitem a presença dele. Temos sempre a presença dos devotos da Nossa Senhora dos Negros, que nos auxiliam nessa interface entre o plano material e o plano espiritual, cuja presença muito silenciosa permite que essas energias fluam muito mais fácilmente. Nós agradecemos também porque nós continuamos aqui, não só em prece, mas também em estudo e dedicação. E agora nós nos retiramos e o pai Beijamin que nos ajuda bastante, pediu que vocês permaneçam um pouco em silencio, em prece, para que ele possa também auxilia-los mais um pouco.

Eu – Nossa Gratidão mais uma vez a todos que estiveram aqui hoje.

Pai Beijamin, mentor da nossa casa e do grupo “Fraternidade Cristais de Luz´´ –

Estão encarnados nesse período os espíritos que precisam disso. Mas que nós agora passamos por um período de ciclos muito rápido e que nós vamos ter que aprender a conviver com isso.

Eu – Esses ciclos são de situações ou de vida. De situações, temos algo a fazer que começa e termina muito rápido (uma situação), ou ciclo de vida. O tempo nosso de vida na terra esta maior em anos e menor em energia?

Pai Beijamin – Não em energia. É que o que vocês medem de anos, para começar, não são mais anos.

Eu – Quer dizer que se eu viver 100 anos, não posso contar 100, são 80 anos?

Pai Beijamin – Menos!

Eu – É porque o dia deixou de ter 24 hs, para ter 16, seria isso?

Pai Beijamin – Menos. Dois terços. Alguém que tem 90 anos, na verdade tem 60.

Eu – Nossa! E isso esta relacionado ao movimento do planeta?

Pai Beijamin – Também, ao movimento do planeta e ao movimento no planeta.

Eu – E assim dá tempo da gente cumprir com nossas buscas, necessidades da própria encarnação?

Pai Beijamin – O tempo é tão relativo, uma encarnação é um segundo.

Eu – Isso prejudica nosso metabolismo, provocando adoecimento?

Pai Beijamin – Para quem quiser, sim! A mesma energia que causa doenças causa cura. Basta escolher o lado que você quer.

Eu – E por que você nos pediu para que ficássemos um pouco em silencio? Algum tratamento energético?

Pai Beijamin – Na realidade, pai Beijamin esta preparando todo este ambiente. Você já percebeu a mudança e nós estamos vindo lá de fora, digamos assim, e ele precisa cada vez mais equilibrar as nossas energias com o ambiente.

  Categories:
Ler Mais Artigos

Sobre o Autor do Artigo

Vilma Aparecida Mascagni
Vilma Aparecida Mascagni

Ler Mais Artigos
%d blogueiros gostam disto: